Como são criadas as cores no desenvolvimento dos modelos VW?

imagem610 (4)

  • Olhar nos bastidores: departamento de “Color & Trim” na matriz da marca em Wolfsburg, Alemanha
  • Designers explicam o significado de “terceiro espaço”, falam sobre o que os inspira e sobre as últimas tendências em cores
  • Do carro de exibição no Salão de Genebra diretamente para o cliente: o Amarelo Cúrcuma

“Esperamos por esse tipo de amarelo por um longo tempo.” Astrid Göring põe de lado cuidadosamente uma pequena tigela contendo o pó de cúrcuma, abrindo espaço para o chamado “mood board”, ou “painel de referência”. A placa mostra diferentes tonalidades de amarelo – entre outras coisas, como uma foto de uma brilhante plantação de milho, o rótulo de uma garrafa de limonada francesa e uma amostra de tecido de uma cortina italiana.

imagem610 (3)

“Para achar inspiração, no início nós colecionamos de tudo. Usamos esses exemplos como base para a primeira reunião com o fornecedor de tintas. É quando precisamos comunicar nossa ideia do tom final: com um toque de refinamento, ou com reflexos vivos assim que o sol brilha sobre a pintura”, explica Astrid Göring.

Ela e sua colega Susanne Gerken trabalham na matriz da Volkswagen em Wolfsburg, Alemanha, no departamento de “Color & Trim”. É lá que a força criativa dá origem a novos conceitos: cores, acabamentos e novos tipos de tecidos para os diferentes modelos da Volkswagen.

imagem610 (1)

Susanne Gerken e Astrid Göring estão em busca da próxima tendência em cores. Gerken está contente: “Um amarelo vibrante como esse (usado no Arteon) não seria tecnicamente viável no passado. Mas muita coisa mudou na composição dos pigmentos coloridos.”

Juntamente com seu grupo, Susanne Gerken é responsável pelo design de cores dos carros como o Passat, Sharan e Arteon, entre outros veículos. O Amarelo Cúrcuma foi mostrado pela primeira vez no Salão do Automóvel de Genebra, em 2013. Como a resposta do público à cor foi muito boa, a tonalidade virou realidade.

Variedade de escolhas no interior

Susanne, Astrid e seus colegas decidem sobre as cores e materiais de todas as superfícies criadas pelos designers de interior e exterior. No interior, há uma abundância de escolhas: tipos de couro, variedades de tecidos, além de madeira, alumínio ou pintura para os frisos precisam ser selecionados. Cores, acabamento e superfícies. Além disso, é claro, a escolha das cores para a superfície exterior, incluindo os aros das rodas, faz parte do processo. Também há diferentes versões de tetos de lona para modelos conversíveis, como o Beetle Cabrio, por exemplo.

Em resumo: a equipe precisa escolher materiais compatíveis para cobrir todas as superfícies do veículo que o cliente consiga ver e sentir, por dentro e por fora. E eles fazem isso para todos os modelos da Volkswagen, para todos os mercados. Há um espectro de cerca de 80 cores externas diferentes à escolha. E pintura não é apenas uma tinta. Ela vem em versões sólidas, com acabamentos metálicos ou com efeitos perolizados. Elas incluem cores clássicas, como o Vermelho Tornado e o Branco Puro, disponíveis para as linhas Fox e Golf, por exemplo. Partículas coloridas cuidadosamente desenvolvidas criam um brilho intenso e sensação de profundidade.

Com essa grande seleção de cores e materiais, a Volkswagen segue a tendência global no sentido da individualização. Juntamente com a casa e o trabalho, os carros se tornaram o terceiro ambiente mais importante nas vidas de muitos clientes. E eles querem criar esse “terceiro espaço” individualmente, personalizado como suas casas.

As opções nessa área não são mais limitadas à cor da carroceria. No novo up!, por exemplo, os clientes podem optar entre várias combinações internas (dependendo da versão), variando a cor dos espelhos externos, das rodas e do teto. Todas as cores e combinações são verificadas pelo time de designers, que faz isso em intervalos regulares para garantir o aspecto contemporâneo e, quando necessário, adaptar o espectro a novos desenvolvimentos.

Um futuro brilhante para os tons de verde

imagem610 (2)

Esses desenvolvimentos podem se relacionar à sociedade, por exemplo, a maior mobilidade, digitalização e sustentabilidade. Eles influenciam novas tendências de cores, que podem ser observadas primeiramente na moda, depois no mobiliário e, mais tarde, no mundo do automóvel.

“Essas mudanças também são percebidas por nossos clientes. O gosto deles muda de acordo com elas”, explica Susanne Gerken. Por isso, os designers da Volkswagen desenvolvem novas cores a cada ano. Além do já mencionado “Amarelo Cúrcuma” (para o novo Arteon, entre outros modelos), as últimas tendências são as tonalidades metálicas “Azul Atlantic” (disponível no Touran, por exemplo) ou a “Verde Bottle” para o Beetle e Beetle Cabrio.
Susanne e Astrid veem todos os tons de verde. “A importância do verde mudou ao longo dos anos para a Volkswagen. Isso ocorreu devido à interconexão e a globalização. As empresas se tornaram mais transparentes e tolerantes. As cores não são mais estigmatizadas”, sintetiza Susanne, prevendo um futuro “cor de rosa” para a tonalidade, que anteriormente era pouco usual.

Mesmo assim são necessários pelo menos dois anos – do primeiro esboço à pintura acabada – antes que uma nova cor seja incorporada às opções dos modelos de linha. Por isso, os designers têm que viver mentalmente no futuro.

Qual a influência das cores e materiais no conjunto?

Algumas cores podem reforçar o estilo de um veículo. Idealmente, elas reforçam perfeitamente cada linha, cada raio e cada curva. Mas só quando as cores são combinadas com materiais compatíveis no interior é que o pacote completo se revela. “Nós não queremos enfeitar nossos carros, mas em vez disso aperfeiçoá-los com a ajuda das cores e materiais. Tentamos dar ênfase aos detalhes de maneira que eles contribuam para um efeito geral forte e harmonioso”, explica a designer têxtil Susanne Gerken.

Para isso, é preciso que a coordenação dentro da equipe funcione com precisão. A pintura é um produto industrial altamente complexo e, por isso, tem um quê de estrela: “No final do processo de desenvolvimento, não podemos mais mudar nada em relação à cor, mas você pode escolher outro tipo de costura para a cobertura dos bancos”, diz Astrid Göring, explicando o desafio para todos os envolvidos.

Nem todas as cores combinam com todos os veículos

Susanne e Astrid concordam: o Beetle fica ótimo na cores “Verde Bottle” e “Azul Denim”. Cores sólidas, sem efeitos metálicos complexos, combinam com o carisma do Beetle, por exemplo. A cor “Azul Denim” reforça o estilo do Beetle.  Mas essa mesma cor fica fora de questão para veículos maiores que também fazem parte da área de responsabilidade de Susanne Gerken. “O azul claro iria neutralizar completamente as grandes superfícies de um modelo como o Touareg, por exemplo”, diz Astrid.

As duas especialistas em cores têm um pequeno alvo para grandes experiências: dentro de cinco semanas após as reuniões iniciais com os fornecedores de tintas, elas recebem uma placa colorida de 10 por 15 centímetros. Elas trabalham com visualizações e em modelos 3D para ver se a nova tinta é realmente compatível com o veículo. Testar a pintura em um veículo em tamanho real tomaria muito tempo. Com isso, os designers não veem o efeito real em cada veículo até o final do processo de desenvolvimento.

Amarelo Cúrcuma: um tom brilhante com aparência quente

imagem610

Às vezes, elas conseguem impressionar até mesmo seus colegas com uma cor. Astrid Göring surpreendeu com o “Amarelo Cúrcuma”. Na fase inicial, ela primeiramente consultou o espectro existente. O que poderia ser melhorado? O que combina com o veículo? “Estava faltando o amarelo. Eu estava procurando uma cor marcante, brilhante, mas com um brilho quente. Então eu vi a amostra da pintura. Achei que parecia bem picante.”

Máxima dedicação para um décimo de milímetro

Susanne Gerken e Astrid Göring se reúnem regularmente com colegas de outros departamentos. A impressão visual precisa funcionar e a composição química tem que ser resistente ao uso e adversidades climáticas, como chuva, radiação solar, calor e frio – só para citar as principais preocupações com o clima. Além disso, as tintas têm que proporcionar efeitos idênticos em diferentes metais e plásticos. Por isso, a pintura completa da carroceria, com todas as portas e tampas imediatamente após a montagem é um passo muito importante. A mais alta precisão é necessária: são robôs que aplicam a tinta em camadas sobre o metal.

Um Passat Variant, por exemplo, recebe seu revestimento colorido na fábrica de Zwickau, na Saxônia, Alemanha. Durante o acabamento e pintura, as carrocerias percorrem cerca de 6 km em correias transportadoras. A pintura só mostra toda a sua qualidade após todas as camadas serem aplicadas. As cinco camadas têm a espessura total de apenas um décimo de milímetro (0,1 mm) – a mesma de um fio de cabelo humano.

Além da personalidade contemporânea e durável de seus tons, o time de design reforça o processo de produção ambientalmente amigável: a Volkswagen trabalha quase que exclusivamente com tintas à base de água.

*Via Imprensa VW

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s